Paraibano no universo do Rei

No mês de maio será lançada nos Estados Unidos ‘Kirby: Genesis’, série em quadrinhos desenhada pelo quadrinista pessoense Jack Herbert, junto com o astro da pintura Alex Ross.

Ambos são quadrinistas e se chamam Jack. O norte americano Kirby (1917- 1994) foi coroado com a alcunha de king of comics (‘rei dos quadrinhos’). O outro, Herbert, súdito de Kirby, é um artista paraibano que está despontando nos Estados Unidos.

Na terra do Tio Sam da década de 1990, Alex Ross ascendeu ao status de astro da pintura do gênero super-heróico da atualidade por conta de Marvels, badaladíssima minissérie escrita por Kurt Busiek recontando a origem dos seres da ‘Casa das Ideias’, morada de Homem-Aranha, X-Men, Hulk e cia.

Emprestando seu traço como artista exclusivo da editora Dynamite Entertainment, o pessoense Jackson ‘Jack’ Herbert foi convidado por Ross para desenhar a quatro mãos uma série embasada no rico universo do king of comics e escrita por Busiek, intitulada Kirby: Genesis.

“Desde o ano passado comecei a estudar e pesquisar a linguagem do ‘rei dos quadrinhos.’ O público novo não tem noção de quanto ele foi criativo”, analisa o desenhista paraibano.

Segundo Herbert, a proposta não é de simplesmente imitar a arte do Kirby, mas explorar a visão tecnológica, do conceito e de personagens como Captain Victory e Silver Star.

A série, que será lançada em maio com uma edição ‘número zero’ de 12 páginas, se estenderá pelo menos até dois anos e, dependendo do sucesso, manterá a continuidade.

Jack Herbert

Jackson Herbert

Jackson explica ainda que as páginas com seus desenhos são divididas com as pinturas de Ross, dando mais impacto as cenas.No enredo, uma sonda espacial que levou para os confins do cosmos mensagens da Terra (na forma de sons, imagens e símbolos), foi interceptada por uma civilização extraterrestre. A resposta enviada de volta trará grandes mudanças para os terráqueos.

Jack Herbert iniciou sua carreira profissional em 2005, quando foi selecionado pela agência Glasshouse Graphics para trabalhar no competitivo mercado estadunidense.

Passou por várias editoras, até assinar exclusividade com a Dynamite, onde produziu diversos trabalhos como o Battlestar Galactica (baseado na série televisiva de ficção científica), Red Sonja, Queen Sonja e Vingadores/Invasores, esta última, uma minissérie para a Marvel, primeira colaboração que leva o nome de Alex Ross.

Antes de se debruçar na prancheta para Kirby: Genesis, Herbert desenhava a série Black Terror, também outro projeto de Ross.

Jack Kirby: inventividade a rodo da Vossa Majestade

O nova-iorquino Jack Kirby começou sua carreira em 1935, desenhando as sequências animadas de Popeye. Depois de um período como freelancer, criou o Capitão América junto com o amigo Joe Simon, em 1941, para a Timely Comics (que viria a ser a Marvel).

As perspectivas dinâmicas utilizando técnicas cinematográficas, o uso de quebrar quadros seqüenciais e um exagerado senso de ação fez do título um sucesso imediato, garantindo uma marca registrada ao quadrinista reconhecida até hoje.

A veia criativa do autor estourou de fato na década de 1970, quando produziu uma série de títulos sob o selo Jack Kirby’s Fourth World para a DC Comics.  O legado e trajetória do quadrinista podem ser vistos em sua biografia Kirby – King of Comics (Abrams, 2008), escrita por Mark Evanier, coautor de Groo.

Artigo escrito por Audaci Junior, originalmente para o caderno “Vida & Arte” do Jornal da Paraíba (23/02/2011)

Saiba mais sobre Kirby: Genesis, acessando: CBR. NewsaramaMTV Geek, Comic Box, Universo HQ