Análise de Thor por Januncio Neto

Januncio Neto

Januncio Neto

Confesso que não sabia o que esperar de Thor, mas o filme se revelou muito mais do que uma grata surpresa.

Thor foi dirigido por Kenneth Branagh e assim como os seus antecessores Hulk (2008) dirigido por Louis Leterrier e Homem de Ferro (2008) dirigido por Jon Favreau, faz parte do engenhoso plano da Marvel para transportar seu universo para as telas dos cinemas.

O Projeto Vingadores, que Nick Fury (Samuel L. Jackson), mostrou no final do Homem de Ferro a Tony Stark (Robert Downey Jr), foi o primeiro indício que algo muito maior estava sendo preparado e que o desejo de muitos fãs não passaria apenas de um sonho, mas uma futura e consistente realidade.

A arrogância de Thor pode colocar a harmonia entre os 9 Mundos em risco

Thor é diferente das franquias do Homem-Aranha, X-Men, Motoqueiro Fantasma, Demolidor e Quarteto Fantástico, que não estão sob a tutela do Marvel Studios, e que parecem existir em realidades alternativas onde apenas seus personagens existem.

Mas nos filmes que fazem parte do Projeto Vingadores, o universo Marvel realmente vai sendo construído a cada película produzida.

Thor faz bem seu papel, primeiro como adaptação, juntando os elementos básicos da mitologia do herói asgardiano em maior ou menor grau e segundo como prévia do filme dos Vingadores, com citações e cenas que preparam o terreno para o filme dos “maiores heróis da Terra”.

Anthony Hopkins interpreta Odin senhor de Asgard

Chris Hemsworth interpreta um Thor arrogante e impetuoso, que questiona as decisões de seu pai Odin, interpretado pelo excelente Anthony Hopkins, que como soberano de Asgard, preocupa-se com o equilíbrio entre os 9 Mundos e a paz entre eles, tanto que questiona se Thor seria a melhor escolha como seu sucessor, apesar das consequências que isso pode acarretar.

Loki, vivido pelo ator Tom Hiddleston, realiza com perfeição o papel de um deus manipulador e angustiado, que em alguns momentos chega a confundir o espectador quanto a seu verdadeiro papel nessa trama.

Estes três personagens são a base do filme e é preciso ver além dos personagens das HQs, pois a relação entre eles é fundamental para a compreensão da história.

O Loki de Tom Hiddleston é um deus manipulador amargurado por sua condição

A atriz, vencedora do Oscar, Natalie Portman interpreta a cientista Jane Foster (que nos quadrinhos é uma enfermeira) e par romântico do protagonista. Jane é extremamente dedicada ao trabalho de sua vida e isto provavelmente vai ter uma grande importância em futuros eventos envolvendo o personagem.

Natalie Portman e Chris Hemsworth

Os efeitos especiais fazem seu papel e tornam o reino de Asgard tão real quanto qualquer reino cósmico que fosse lar de deuses deveria ser. Jotunhein é o mundo desolado dos gigantes do Gelo e também merece destaque. Não podemos deixar de mencionar o Destruidor, retratado com perfeição e responsável por um dos combates mais legais do filme.

Claro que o filme não consegue abranger todas as minúcias de Thor e seu panteão de personagens, e não acredito que ele tenha tido esta presunção. Existem “licenças poéticas” e adaptações em relação as HQs, mas o julgamento do quanto isso prejudica ou valoriza os personagens vai caber a cada expectador.

O Destruidor, criação de Odin, capaz de matar um deus

O filme não é focado exclusivamente nos fãs dos quadrinhos, mas ao mesmo tempo faz citações e mostra flashes que apenas os fãs mais atentos podem captar, mostrando que desta forma é possível fazer algo que tenta inovar e sem desrespeitar os fãs.

Se você é um apreciador dos quadrinhos da Marvel (e não um chato de galocha) vai poder curtir o filme e muito provavelmente se sentir satisfeito com o resultado final.

Particularmente espero que em breve as franquias do Homem-Aranha, Quarteto Fantástico, Motoqueiro Fantasma, Demolidor e principalmente X-men, possam voltar para as mãos do Marvel Studios, para que o conceito do Universo Marvel possa ser ampliado no cinema. Algo que “aparentemente” a DC Comics não consegue transmitir em seus filmes.

Agora nos resta aguardar o lançamento de Capitão América e ver o resultado do último capítulo antes do lançamento dos Vingadores.

Januncio Neto, ministra aulas de Roteiro no Curso de Desenho para HQs do Studio Made in PB, curte cultura pop, action figures, vídeo games, filmes de ação, fantasia medieval, HQs e gostaria de ser digno de usar o Mjolnir.

Januncio Neto: Facebook

Anúncios