Studio Made in PB Tutoriais: Utilizando o papel como elemento predominante da imagem

Existem inúmeros tipos de papéis, com cores, texturas e gramaturas diferentes. Uns para materiais específicos e outros para os mais diversos fins. Um deles é o papel Kraft. Papel bastante resistente que visualmente poderemos usar a nosso favor nas composições onde os tons ocre são predominantes.

Recentemente fiz um desenho da Vixen (personagem da Liga da Justiça) cujo kraft foi excelente na composição! Além de auxiliar nas cores em geral, contribuiu bastante para a temática africana da personagem. Utilizei vários materiais e técnicas de desenho para assim obter resultado visual que almejava. Diferente de outras versões dela que pesquisei, eu evidenciei suas características africanas no rosto.

Materiais e ferramentas utilizados na confecção da imagem

Papel Kraft é composto de fibra de celulose de polpa de madeiras macias. Sua característica é rústica por conservar as cores e fibras naturais. Este papel é base para produção de caixas, sacolas e embalagens em geral. Algumas de sua características a considerar para uso deste papel pra desenhar são:

1. Textura áspera o que é bom na fixação de alguns materiais secos porém, de baixa fixação para outros; exige força para alcançar determinados tons fortes.

2. Possui forte textura o que pode ser positivo ou negativo para o desenho dependendo do resultado visual que almeja.

3. Tolerância média para materiais aguados como aquarela e nanquim.

 

VIXEN

Vixen é personagem da editora DC Comics que participou do Esquadrão Suicida e atualmente está na Liga da Justiça. De origem africana radicada nos Estados Unidos, Vixen invoca os poderes do toten do Guerreiro Tantu que é passado de geração pra geração e ela o utiliza para estabelecer a ordem e a paz.

Capa de Josh Middleton para Vixen: Return of the Lion Vol.1 #3

Estas imagens a seguir foram selecionadas como referências do estudo da personagem e composição; não fixei em nenhum padrão de uma imagem ou da outra por haver variações sigificativas. Criei um que seleciona particularidades de sua origem e focando na personalidade que ela representa.

 

1ª Fase: Desenhando com grafite

Sobre a folha de papel kraft tamanho A3 com gramatura de 200 g/m², esbocei a personagem numa posição de ataque para explorar a dinâmica. Deixei-a em primeiro plano ocupando toda a cena. Utilizei lapiseira Pentel 0.7, borracha branca da Mercury. Para colorir optei por lápis de cor da marca Faber-Castell. Como falei anteriormente, para alguns materiais secos a aspereza do kraft não é bom.Um deles é o grafite, que não fixa bem. É excelente para esboçar e apagar. Por isso fiz uma arte final com canetas nanquim. Assim as linhas gerais do desenho permanecerão nítidas.

 

 

2ª Fase: arte final com canetas nanquim

Canetas nanquim descartáveis tem na sua constituição um pouco a mais de álcool e o preto não fica tão preto sobre o papel kraft. Diferente do grafite, canetas nanquim fixa muito bem, porém sua nitidez é pouca. Usei canetas nanquim de ponta porosa da Steadtler de diversas espessuras e no padrão: detalhes e linhas internas pontas mais finas e contornos e linhas externas pontas mais grossas.

Estas canetas são de ponta porosa e descartáveis. Há canetas nanquim recarregáveis porém, com pontas de metal que requer certo domínio técnico para utilizá-las. São chamadas canetas´para desenho técnico. Sua ponta é de metal o que obriga o desenhista a ter traço leve.

 

3ª Fase: Aplicando aquarela

1ª REGRA DE OURO: Teste os materiais antes de aplicar na imagem. Evite o arrependimento.

2ª REGRA DE OURO: Faça primeiro o cenário antes de fazer a figura! Principalmente se for materiais aguados. Para aquarela e guache preencha as formas antes de fazer os contornos.

 

Como a proposta é utilizar o papel na composição, a paleta escolhida e a personagem reduzirá e muito a busca pelos tons. Para a área que representa o céu apliquei camadas de aquarela no tom amarelo palha que criei acrescentando branco ao ocre. Para as áreas de terra (montes, plantas, animais e planície) apliquei camadas de marrom sépia que crie misturando marrom e preto.

Usei pincéis da marca Tigre, série Pictore, referência 182 e de números 06, 12 e 24.

 

 

Você já se perguntou por que aquarela é um material de desenho e não de pintura? Porque seu princípio técnico é o mesmo do desenho: sobreposição de camadas. Quanto mais camadas, mais forte ficará o tom. Porém, para que seu efeito seja notório, espere secar bem uma camada antes de aplicar a segunda e assim sucessivamente. Para criar a ilusão de profundidade, apliquei tons mais claros próximo ao céu e mais escuros próximo a personagem.

Portanto, ao escolher o material aquarela para seus desenhos, aplique uma camada de aquarela no tom escolhido em toda a superfície de maneira uniforme e espere secar totalmente. Após secagem, aplique nova camada de maneira uniforme apenas onde pretendes que os tons fiquem mais escuros. Espere secar novamente esta segunda camada. E aplique sucetivamente, respeitando os intervalos de secagem, para atingir os tons e criar efeitos de volume, luz e sombra no desenho.

 

4ª Fase: lápis de cor

Comecei pela pele morena de nossa personagem; o tom do papel kraft auxiliou bastante no alcance dos tons que eu almejava. Utilizei o lápis de cor marrom de número 076 como cor base. Onde era mais claro, apliquei menos camadas; onde a sombra natural era mais forte, apliquei mais camadas. Para suavizar a textura do papel usei o amarelo ocre, lápis de número 083 (cor muito semelhante a do papel) Para as sombras projetadas usei o lápis de número 075. Para ‘pesar’ as sombras, apliquei lápis preto 099.

Apliquei camadas suaves para não exceder o tom de pele que almejava. Fui intercalando camadas do marrom base com outros tons; os mais claros nas zonas de luz e os mais escuros nas zonas de sombra natural e sombra projetada da figura.

 

Aplique lápis de cor branco nos olhos e acessórios. O que dá um efeito muito bom sobre o papel kraft. Na coloração dos lábios utilizei lápis de tons laranja de número 009 e 013. Para roupa, usei os mesmos lápis acrescidos de amarelo ocre 083, amarelo ouro 007, marrom 075 e preto 099. Aplicando a técnica de sobreposição de camadas, na base escolhi o laranja 009; para sombra natural usei o laranja 013 e sombras projetadas o marrom 075. Semelhante ao lápis grafite, o lápis de cor não fixa facilmente; requer uso de força para atingir alguns tons. Os brincos, pingente e zipper, eu colori com aquarela de maneira uniforme e fiz a variação de tons aplicando lápis de cor amarelo 007, criando efeito de brilho e volume.

Para as áreas onde a sombra faz-se mais presente do que a luz modifiquei o processo de coloração com lápis de cor. Comecei pelas sombras usando o marrom 075. Obedecendo a volumetria e direção da luz.

Após isto, apliquei a cor base escolhida: laranja 009 com determinada força para atingir o tom que buscava.

E por último apliquei ocre 083 na parte mais clara e preto 099 para acentuar os extremos das sombras.

Detalhe do resultado obtido após aplicação do lápis de cor

 

5ª Fase: retocando o nanquim

Como eu disse anteriormente, as canetas nanquim fixam bem, mas sua intensidade é baixa. Assim, é necessário aplicar mais nanquim.

Ao lado da caneta, está o nanquim aplicado com canetas sobre o papel kraft.

Ao lado do pincel o nanquim aplicado com o pincel sobre o papel kraft.

Para retocar o nanquim, usei pincel da marca Condor nº 02 referência 422. Este pincel é muito bom para delinear e escrever por possui pêlo longo.

 

Eu utilizo nanquim profissional da Steadtler apesar do pote apresentar outra marca. (nanquim profissional da Steadtler sua embalagem é uma bisnaga e eu prefiro utilizar o nanquim num pote porque é mais fácil e evita o desperdício).

Onde há necessidade de uma linha uniforme como as das canetas nanquim mas é necessário nanquim liquido, usei bicos de pena da marca britânica Leonardt 63.5 . Esta tem a ponta curva como uma meia lua, muito boa para a escrita e seu traço é macio. Agradável de usar.

Há vários tipos de pontas para bicos de pena que poderemos obter diversas linhas e expressões. Eu possuo uma haste onde encaixo a pena mais adequada para o resultado visual que busco.

 

6ª Fase: finalizando com verniz

Depois de finalizado o desenho, esperei secar para aplicar verniz, para melhor conservação e total fixação do lápis de cor.

Eu utilizo o verniz fixador em spray da Acrilex Fosco – Mate 10972. Muito cuidado ao aplicá-lo! É tóxico e inflamável.

Espero que tenham gostado e aprendido um pouco sobre desenho e suas diversas técnicas e materiais!

Após o processo uma amostra do resultado final

A seguir vocês podem conferir todos as imagens do processo de produção da ilustração em alta resolução.

Tutorial Image Gallery

 

Espero que tenham gostado e aprendido um pouco sobre desenho e suas diversas técnicas e materiais!

Tutorial produzido por Paloma Diniz, professora de desenho para HQs e artista do Studio Made in PB, publicado originalmente em seu Blog.