Li e Recomendo: Amores Plurais – Quadrinhos e homossexualidade

TEASER - Amores Plurais

 

Por Paloma Diniz

Tive a oportunidade impar de ler as dezoito (18) histórias em quadrinhos e tiras do concurso da Editora Marca de Fantasia cujo tema é Quadrinhos e Homossexualidade. Dentre HQs inscritas, havia produções nacionais e internacionais apresentadas para seleção. Diversas abordagens da pluralidade sexual que representam situações do cotidiano que para os homossexuais ainda há barreiras sociais, religiosas, culturais, psicologias. Abordagens poéticas e filosóficas na narrativa numas HQs, noutras uma abordagem simplória da estética e da narrativa com grande potencial.Dentre todas, algumas que chamaram minha atenção por algumas peculiaridades em meio às outras.

A história em quadrinhos Joca e Juarez produzida por Henrique Sampaio Francisco Luis, de Juazeiro do Norte (CE) abordou o tema da homossexualidade masculina com linguagem de fácil entendimento e branda para temas fortes como questões sociais e religiosas que geram conflitos psicológicos. Sua narrativa é no estilo conto ilustrado, com linguagem rimada que faz alusão aos cordéis tipicamente nordestinos. Os desenhos num estilo que remete ao cartum com clareza na comunicação do contexto das cenas.

A HQ intitulada Minha Flor, Minha Rosa produzida por Amaro Braga e Janaina Araújo das cidades de Recife (PE) Maceió (AL), aborda tema da homossexualidade feminina no estilo de desenho mangá. Diga-se de passagem, com bastante domínio de técnica e linguagens típicas de estilo. Seu tema é questões sociais e legais que são barreiras para os homossexuais e reflexos psicológicos destes no comportamento dos indivíduos que compõem a história.

As tiras seriadas de Camila desenvolvida por Julie Albuquerque de Ibiúna (SP) que retrata uma personagem transexual (que intitula a série) abordam os mais diversos contextos vividos nas particularidades do universo transexual. A linguagem verbal da personagem possui palavras e gírias particularmente utilizadas por homossexuais. Seu estilo de desenho assemelha-se ao estilo mangá, o que dá liberdade nas exagerações das expressões facial, comunicando com proporção adequada para determinados contextos.

A história em quadrinhos intitulada Eu e Ele produzida por Pedro Machado possui um excelente domínio da narrativa gráfica apenas visual que aborda a solidão, que um homossexual masculino vive por pressão social. Outra história em quadrinho que aborda o mesmo tema da solidão vivida pelo homossexual visto pela ótica feminina, é a HQ de Ana Ribeiro de Portugal, cuja narrativa depressiva trás a tona todo o sufocar dos sentimentos num breve monólogo.

As tiras de Ber the Bear de Rafael Lopes do Rio de Janeiro (RJ) tem uma proposta educacional e informativa sobre um grupo particular de homossexuais masculinos que se autodenominam ursos por características estéticas. Sua linguagem é simples no visual por opção. Não há desenvolvimento de cenário porque o importante é o texto dos diálogos de dois personagens e em sinergias com estes diálogos estão diversas e divertidas expressões faciais num estilo cartum de representação muito bem desenvolvida.

 

Shiko participa da antologia com a historia "Sobre o Meu e os Outros"

Shiko participa da antologia com a historia “Sobre o Meu e os Outros”

 

Aqui da Paraíba, duas HQs chamaram minha atenção. A de Samuel Góis que tem um jogo narrativo entre imagem e textos inusitado com uma pitada poético-filosófica, bastante atrativa que proporciona várias maneiras de leitura que usa dos temas da Natureza para abordar as questões da sexualidade. E a de Shiko intitulada Sobre o Meu e os Outros (sou suspeita para falar de Shiko). Mas o porquê que esta HQ chamou minha atenção de forma acentuada com relação às outras, foi o fato de ser uma história cujo tema é homossexualidade que não possui temática político, religiosa, psicológica, social, educativo, poético ou filosófico. É apenas um conto. Sensacional.  Completamente diferente dos outros inscritos no concurso e como um dia se espera que histórias em quadrinhos, cujo tema é homossexualidade, no Brasil seja mais uma opção de história em quadrinhos; e não uma categoria a parte, ou algo novo, polêmico.

Esta é a proposta da Editora Marca de Fantasia com o Concurso Quadrinhos e Homossexualidade. Que a diversidade sexual seja uma temática das histórias em quadrinhos como qualquer outra: seja algo do cotidiano e respeitado.

 

 

Paloma Diniz é professora do Studio Made in PB, artista da agência Space Goat ProductionsLLC e pesquisadora e membro do Grupo de Pesquisa Imaginário! Vocês podem conferir este e outros artigos escritos por Paloma, acessando seu blog pessoal através deste LINK.

 

SERVIÇO

Amores Plurais - Quadrinhos e homossexualidade  03Veja como adquirir seu exemplar e mais informações no site da editora MARCA DE FANTASIA
Amores plurais: quadrinhos e homossexualidade
Henrique Magalhães (org.).
Série Repertório, n. 13. João Pessoa: Marca de Fantasia: 2013. 92p. 14x20cm. R$14,00.
ISBN 978-85-7999-066-3