Análise de Robocop por Jean Sinclair

Blog Teaser -  Robocop 01

 

Bem… O que pode ajudar ou destruir um remake?
Ser fiel demais? Fugir demais? Buscar ser uma visão única, mesmo sendo inspirado por um material fonte?

Partindo dessas opções, José Padilha partiu pro terceiro ponto.

Seu Robocop traz um vislumbre do mundo atual, com temas abrangentes de hoje, seja eles política militar externa e interna, segurança, mídia, corporações e discussões sobre o indivíduo.

A grande sacada de tudo é que o filme em momento algum, esquece quem é o real protagonista: Alex Murphy!

É com essa visão que o Robocop atual é mostrado, e sem esquecer de construir seu personagem de forma coesa e segura.

 

Joel Kinnaman;Gary Oldman;Aimee Garcia

 

Some isso a excelentes coadjuvantes, como Clara Murphy (Abbie Cornish) e seu filho, montando um excelente núcleo familiar, o Dr. Dennet (Gary Oldman), que mesmo imbuído de bons sentimentos, tem sempre a ciência em primeiro lugar.
Os antagonistas são bem colocados e bem utilizados.

A violência está presente sim…mesmo sem sangue, há momentos bem violentos, como a sequência inicial e a cena do que é hoje Alex Murphy.

Com elenco afinado, em especial Joe Kinnaman, que constrói um Murphy excelente e bem encaixado na historia.

Com todas as mudanças feitas, Padilha entrega um filme seguro e correto, que em nada deve como filme pipoca e que mostra conteúdo pra se pensar.

NOTA: 8,5

 

 

*Jean Sinclair é natural de Fortaleza (CE) e trabalha como quadrinista e ilustrador, esperamos que esta seja a primeira de muitas oportunidades aonde possamos contar com sua colaboração!