Studio Made in PB Entrevista: Eduardo Augusto

Januncio Neto

Januncio Neto

Se você teve a sorte de acompanhar a Era de Ouro dos Tokusatsus no Brasil, entre o final da década de 80 e metade da década de 90, lembra da saudosa programação da extinta TV Manchete, que nos trouxe heróis como Jaspion, Changeman, Flashman, Maskman, Jiban, Jiraya, Spielvan. Kamen Rider Black e os Cybercops entre tantos outros que desde então conquistaram legiões de fãs em todo o país.

Um dentre estes fãs é Eduardo Augusto que ao longo dos anos conseguiu expressar seu amor pelos heróis dos Tokusatsus se especializando na arte de confeccionar as armaduras dos personagens que inspiraram a infância dele e tantos outros. Graças a seu trabalho Eduardo recebeu o que muitos podem considerar uma sonho, mas para ele é uma feliz realidade, ele foi contratado para restaurar todas as armaduras originais usadas no seriado Cybercops, isso mesmo! Todas as armaduras usadas pelos atores e dublês nas filmagens da série no Japão.

E é sobre esta e outras historias que nós conversamos com Eduardo, numa entrevista muito legal e que mostra a trajetória de um fã dedicado que nunca teve medo de acreditar em seus sonhos!

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Januncio Neto – Como surgiu a oportunidade para restaurar as armaduras originais do seriado (Tokusatsu) Cybercops?

Eduardo Augusto – Eu estava na minha oficina fazendo as encomendas dos meus clientes quando minha esposa Alessandra trouxe o telefone. A ligação era de uma pessoa muito querida, claro que eu não imaginava se tratar do senhor Nelson Akira Sato. Ele elogiou muito meu trabalho, seu interesse era em um trabalho em especial, até então eu não esperava se tratar da restauração das armaduras originais da série Cybercops: Os Policiais do Futuro.

 

JN – Qual foi o primeiro contato com os responsáveis pelas armaduras no Japão?

EA – Como falei o primeiro contato foi direto com o senhor Nelson Akira Sato, ele é detentor de todos os direitos dos Cybercops… Marcamos uma reunião e conversamos sobre tudo que precisava ser feito.

 

JN – Quais serão as armaduras que serão restauradas?

EA – Todas as armaduras dos Cybercops, as Unidades Cyber Júpiter, Marte, Saturno, Mercúrio e Lúcifer (incluindo as versões usadas nas cenas de ação que são os modelos destinados aos dublês), além de armas e uniformes usados no seriado em 1988 no Japão.

Também irei restaurar todas as armaduras dos inimigos Ominus e Harkos. Todas produzidas em fibra de vidro, realmente muita coisa.

 

JN – Você já recebeu todas as armaduras e em qual o estado de conservação elas estão?

EA – Sim, eu as recebi! A primeira que eu vi foi à armadura do Mercúrio acho ela linda. Depois de 26 anos nunca pensei que elas estavam tão bem cuidadas e conservadas, todas nas caixas guardadas.

Achei todas as Cyber Armas muito interessantes, elas parecem de verdade, algumas partes são de metal, outras em fibra, bem pesadas e ainda “funcionam”. Não eram brinquedos, são reais de certa forma.

O senhor Sato ama muito os Cybercops, tem um carinho e respeita enormes por todo esse legado. Se hoje estou tendo essa oportunidade devo tudo ao senhor Nelson Akira Sato.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

JN – Como fã, qual é a sensação de poder trabalhar com o material de uma série tão relevante quanto Cybercops?

EA – Poxa sei lá, a ficha ainda não caiu eu olho para o céu e falo com Deus, como pode depois de tantos anos essas armaduras estarem aqui na minha casa… Acordo pela manhã e as vejo aqui do meu lado e vou assistir Cybercops com minha esposa e filho, olho pra ela e digo: “Amor isso é coisa de Deus”.

Eu amo os Cybercops, eles fazem parte de mim. Da minha história de vida.

 

JN – Existe algum prazo para entrega das armaduras? E qual será o destino delas após a restauração?

EA – Não existe um prazo especifico mais na reunião conversamos algo em torno de 4 meses já pra ir finalizando uma boa parte, mas não vou reformar uma de cada vez, vou mexendo em varias no decorrer dos dias.

O senhor Sato não gosta de presa, ele quer algo bem feito, acredito que por isso que ele me contratou, eu gosto de tudo bem feito. Respeito tudo nos mínimos detalhes, às vezes penso que sou perfeccionista de mais.

Não sei o que será feito depois que todas as armaduras, armas e uniformes forem restaurados.

 

JN – Você já encontrou Takumi Tsutsui o ator que interpretou Toha Yamaji o Ninja Jiraya, como foi o encontrou e qual a reação dele ao conhecer o seu trabalho?

EA – Fui convidado para participar do Anime Friends em São Paulo, para participar de uma homenagem ao Takumi. Eu fui até o camarim dele que ficava ao lado do meu, entrei usando a armadura de Jiraya sem ele perceber, ele não acreditou no que estava vendo. Ele elogiou muito e ficou feliz com a qualidade do da armadura que eu fiz.

Lá também estava o Akira Kushida que canta as musicas temas de vários Tokusatsus, fomos todos para o meu camarim, pois o Akira e o Takumi queriam ver a armadura do Jiban que eu fiz e havia levado para o evento, brincamos muito e o Toha me ensinou todas as poses do Jiraya. kkkk

 

JN – Desde quando você trabalha produzindo armaduras e qual foi a primeira armadura que você confeccionou?

EA – Eu vim de uma família muito pobre e minha mãe não podia comprar pra mim e meus irmão os brinquedos que eram lançados, eu lembro que chorava por que meus amiguinhos de escola tinham e eu não.

Em 1988 eu já tinha 7 anos e me deparei com os heróis da nossa infância (Jaspion e Changeman exibidos pela primeira vez em 88), então foi quando eu tive a ideia de fazer os meus próprios brinquedos.

Chegou um momento que os meus brinquedos estavam ficando mais detalhados que aqueles que eram fabricados no Brasil. De lá pra cá não parei mais, então após certo tempo tive a ideia de criar algo que pudesse vestir, eu não queria mais os brinquedos, eu queria ser o herói kkk. Faz quase 27 anos que tudo começou.

Acho que o primeiro foi o capacete do Spielvan, mas me lembro de que fazia muito os capacetes dos Flashman, eram mais simples kkk.

 

JN – Você tem ideia de quantas armaduras e elmos já produziu? Quais são as mais procuradas por seus clientes?

EA – Não, nem imagino. Sei lá, afinal são 26 anos. Os clientes pedem muita coisa, não sei ao certo kkk.

 

JN – Qual é a armadura mais difícil que você já fez? Além de personagens de Tokusatsus você já produziu ou recebeu algum pedido por uma armadura de personagem de filmes ou HQs?

EA – Acredito que a mais complicada seja a armadura do Jiban, ela é bem detalhada.

Fora do tema Tokusatsu, só o meu personagem. Eu criei uma versão brasileira dos Metal Heroes, ele é lindo!!! kkk.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

JN – Você participa de eventos em vários estados, qual é a sensação ao ver a reação das pessoas diante do seu trabalho?

EA – Ali no meio de tantas pessoas que amam meu trabalho, que amam Tokusatsus eu me sinto em casa.

É uma coisa única, que apenas quem passa por isso sabe, como que é a alegria de ter um trabalho reconhecido por tantas pessoas. Fico muito feliz!

 

JN – Gostaria de agradecer imensamente por esta oportunidade e desejar muito sucesso em nome de todos os fãs de Tokusatso e admiradores do seu trabalho. Muito obrigado!

EA – Eu que te agradeço pela oportunidade de poder falar um pouco sobre minha vida, do meu trabalho e das conquistas que Deus me proporcionou. Espero poder um dia estar presente em eventos no nordeste e poder falar mais sobre o meu trabalho.

Muito obrigado e desejo um forte abraço a todos que tem um carinho grande pelos Tokusatsus.

 

 

Se você gostou do deseja entrar me contato com o Eduarto Augusto pode fazê-lo através do telefone (48) 9624-1134  ou em seu perfil no Facebook

 

Agradecemos a todos vocês e aguardem os artigos especiais sobre a San Diego Comic Con 2014, breve aqui no blog do Studio Made in PB.😀