Análise de Batman Bad Blood, por Jean Sinclair

Blog Image Gallery Teaser - 2016 01

 

Continua a nova reestruturação da linha cronológica do DCU Animated (rebootada em Liga da Justiça – Ponto de Ignição),a animação conta a história de como Dick Grayson, o Asa Noturna precisa lidar com o desaparecimento do Batman, e a ameaça de uma nova organização em Gotham e ao mesmo tempo, o surgimento de mais uma pessoa usando o símbolo do morcego:a Batwoman.

Como muitos sabem, sou fã assumido do Dick Grayson, e finalmente temos uma animação em que ele é o personagem principal, e também temos minha personagem predileta da recente DC, a Batwoman.

 

 

Tem tudo pra dar certo? Mais ou menos.

Sim. A animação,mesmo sendo original, bebe com sabedoria de fontes como Grant Morrison e Greg Rucka, usando momentos mostrados-nos arcos que aconteceram em Batman e Robin, com Dick assumindo o manto do morcego ao lado do Damian e o que foi visto em Detective Comics, com a explicação fantástica da origem da Kate Kane e seu desenvolvimento.

A interação entre o Dick e o restante das personagens é excelente, Dick e Kate soam naturais em seus papeis, Damian vem evoluindo e até mesmo esse Batman do novo UDCA é bem diferente das versões do Dini/Timm.

 

Outro ponto positivo foi o belo upgrade em alguns vilões menores, que deixaram de ser bocós e foram usados de forma mais direcionada e eficaz.

Porém, a obra como um todo fica apenas nisso, no comum,no raso, lhe faltando a ousadia que seus materiais fontes possuem.

Basicamente temos conversas…lutinha…conversinha..lutinha….easter eggs…lutinha …e lutinha…e lutinha… e essas mesmas lutinhas ficam chatas e entediantes depois do enésimo confronto entre o Batwing (que me perdoem, não serve pra nada a não ser”O Bátima que avoa) e o Vagalume.

Adicione uma animação irregular, onde se gastaram bem nas lutas,mas em momentos mais parados,os animadores estragam o design do Phil Bourassa.

Menos violento, leia-se sem aquelas sangrias inúteis só pra parecer “adulto”,que seus antecessores, Batman Bad Blood é comum e simples.

 

Divertido,mas sem ousadia e só mostra o quanto o UDCA hoje basicamente vive de Batman e da Liga da Justiça,as apostas obvias, e que o desafio de criar animações como Mulher-Maravilha, Lanterna Verde ou ate mesmo Jonah Hex, foram riscadas dos planos , apostando no fácil e seguro.

 

NOTA: 7.0

 

LEIA TAMBÉM:

Análise de Robocop por Jean Sinclair

 

*Jean Sinclair é natural de Fortaleza (CE) e trabalha como quadrinista e ilustrador, sendo um dos poucos caras que tem personalidade suficiente pra admitir ser fã do Dick Grayson!😄