31
jul
15

Paródia produzida com música de Frozen inspira curta-metragem estrelado pela Arlequina

Blog Image Gallery Teaser -  Do You Wanna Kill The Batman

 

No ano passado, uma das músicas do musical Frozen “Do You Want to Build a Snowman”, ganhou uma paródia musical intitulada “Do You Wanna Kill The Batman?” é interpretada por Harley Quinn, ela foi escrita por Hesychia7 e executada por SydneyAmber S.

No dia 21 de Janeiro deste ano, o animador Michael Smith utilizou a música como inspiração para produzir um vídeo animado CG. Apenas um pequeno trecho do vídeo esta pronto, porém a qualidade da animação é inspiradora e nos deixa malucos para ver o resultado final dos esforços de Smith.

 

Do You Wanna Kill The Batman

 

“Depois que eu ouvi esta canção, eu decidi criar um modelo real Harley Quinn para cantá-la. Os créditos da canção vão para Hesychia7 e SydneyAmber por esta versão da canção “Do You Want to Build a Snowman” de Frozen. Eu incluí algumas cenas com detalhes da produção, com notas sobre meu processo, mas na verdade é apenas uma desculpa para prolongar a animação e usar a música inteira. Certifique-se de ver o vídeo até o fim para conferir uma participação “surpresa” ao final!”

 

 

 

 

*Se você gostou da música e gostaria de ter ela em sua playlist basta acessar este LINK

**Agradecimentos à Jonathas Pessoa, pelo trabalho de tradução.

FONTE: Geek TyrantThe Mary Sue,  Michael Smith

 

 

24
jul
15

Será que o final de One Piece está à vista? Editor revela que o arco final já está todo mapeado, e especula sobre data

Blog Image Gallery Teaser - ONE PIECE END'S

 

Dezoito anos após sua primeira aparição nos quadrinhos, o criador de One Piece, o mangaká Eiichiro Oda está mais popular que nunca. Mas enquanto os fãs ficariam muito felizes em ver os Piratas do Chapéu de Palha velejando para sempre, o editor atual do mangá diz não só que Oda já tem o final da historia, mas também que acha que sabe quantos volumes o mangá tem que ter antes do seu final.

O mangá de One Piece, que  surgiu pela primeira vez na antologia dos quadrinhos semanalmente na Shonen Jump em 19 de Julho de 1997, celebrou seu décimo oitavo aniversário domingo passado. Dois dias antes desse marco, o editor atual do mangá, editor da Shueisha Taku Sugita, apareceu no programa Gold Rush da rádio J-Wave de Tóquio para falar sobre a popularidade fenomenal da franquia.

Devido a quantidade de anos em circulação de One Piece, Sugita já é seu oitavo editor. Quando perguntado sobre como é trabalhar de perto com o artista dos quadrinhos de maior sucesso da era atual, Sugita diz que Oda é bastante igualitário no seu tratamento. Enquanto outros mangakas são tratados como senseis pelos fãs e membros da indústria, Oda prefere que sua relação com seu editor seja de igual pra igual. Desta forma ele insiste em ser chamado da mais humilde forma “Oda-san” em vez de “Oda-sensei”, apesar do fato de Sugita, com 26 anos ser 14 anos mais novo que Oda, significando que One Piece já estava sendo publicado na época em que Sugita ainda estava no ensino fundamental.

Isso não quer dizer que o artista quer a influencia do editor em cada aspecto da produção do Mangá. De fato, Oda expressamente pede aos editores para não darem muitas sugestões na trama, porque segundo ele se não for ele mesmo quem desenvolva, é difícil encontrar uma motivação para eles.

Por outro lado, as ideias seguem direto na outra direção. Durante a entrevista, Sugita disse que toda vez que um novo editor assume os trabalhos principais de One Piece, ele tem uma longa conversa com Oda em que o criador revela como ele planeja fazer o fechamento da série. Não é uma conversa rápida ou casual, que Sugita lembra ter começado com um telefonema de Oda perguntando se mais alguém estava ouvindo a conversa. Somente quando Sugita confirmou está sozinho, e Oda também, que o criador começou a contar o arco final para Luffy e seus nakamas (companheiros).

A explicação levou sete horas.

 

Straw Hat Crew

 

Quando perguntado quantos volumes ainda faltariam pra chegar lá, Sugita ofereceu um palpite: cerca de 60 volumes, Oda disse que a historia está “meio feita” o editor lembrou que com o lançamento do volume 78 esse mês, Sugita notou que a série estaria entre 70 e 80% concluída.

Em outras palavras, o editor estima que quando a saga complete terminar, terá cerca de 120 volumes. Como a Shueisha libera uma média de quatro coleções de One Piece por ano, significaria que ainda tem cerca de uma década de conteúdo pra sair. Então enquanto o final da série pode estar a vista, agora ainda seria necessário subir até o observatório do mastro e pegar um telescópio pra poder vê-lo, e ainda haverão muitas ilhas daqui até lá.

 

 

**Agradecimentos à Jonathas Pessoa, pelo trabalho de tradução.

FONTE: Robot 6, CBRRocket News24

19
jul
15

Silent Manga Audition: Artistas brasileiros são premiados no mais importante concursos de mangá do mundo

Blog Image Gallery Teaser - SILENT MANGA AUDITION 01

 

O concurso Silent Manga Audition teve sua primeira edição realizada em 2013, organizado e idealizado pela editora Coamix Corp of Japan, que tem Nobuhiko Horie como CEO. Nobuhiko é ex editor chefe das revistas Weekly Shonem Jump e Weekly Shonen Bunch, também foi  editor de Hokuto No Ken – Fist of the Nort Star e é co autor de Souten no Ken – Fist of the Blue Sky, prequel das aventuras vistas em Hokuto no Ken.

O principal objetivo do Silent Manga Audition é descobrir e dar suporte aos artistas de mangá (entenda-se mangá como a forma narrativa das HQs japonesas) que existem ao redor do mundo. De longe é o maior evento do gênero, com mais de 1000 trabalhos tendo mais de 14.000 páginas produzidas em mais de 73 países (dados oficiais do comitê em dezembro de 2014).

A principal característica do evento é que as HQs não possuem texto, valorizando a narrativa e a arte, esta for a forma encontrada para que artistas de todo o mundo pudessem participar sem a preocupação de traduzir suas historias para o japonês. Entre os juízes honorários estão alguns dos mais importantes e representativos profissionais da indústria japonesa de HQs, figuram entre eles nomes como:

 

TETSUO HARADirector, Coamix Corp / Author, “Fist of the North Star”, “Keiji”, “Ikusa no Ko” etc.

TSUKASA HOJODirector, Coamix Corp. / Author, “City Hunter”, “Cat’s Eye”, “Angel Heart” etc.

RYUJI TSUGIHARADirector, Coamix Corp / Author, “Mecha-Doc”, “Restore Garage 251″, “Shonen Reedom” etc.

 

Também existem juízes convidados que se alternam a cada edição do evento, assim como os demais, são grandes profissionais e artistas da indústria:

 

Mr. TAKAYUKI MATSUTANI, CEO, Tezuka Productions / Interviews and endorsements, on compilation book 2013.

GO NAGAI sensei / Author, “Devil-Man”, “Mazinger Z”, “UFO Robot Grendizer”, “Cutie Honey” etc. / Interviews and endorsements, on compilation book 2013.

USAMARU FURUYA sensei / Author, “Palepoli”, “La Musique de Marie”, “Le Cercle du Suicide”, “No Longer Human” etc. / Interviews and endorsements, on compilation book 2013.

MOTOO ABIKO sensei / Author ( collectively with HIROSHI FUJIMOTO sensei, as “FUJIKO-FUJIO” ), “Doraemon”, “Hattori-Kun”, “Kaibutsu-kun”, etc. / Interviews and endorsements, on full-page advertising with Nobuhiko Horie

TAKESHI YORO sensei / Intellectual, Professor Emeritus at Tokyo University, Book author, Director Kyoto Manga Museum. / Interviews and endorsements, on compilation book 2014.

CHIBA TETSUYA sensei / Author, “Ashita no Joe”, “Ore wa Teppei”, “Ashita Tenki ni Naare” etc. / Interviews and endorsements, on compilation book 2014.

 

 

SILENT MANGA AUDITION 2015

Este ano foram inscritos e selecionados 802 trabalhos, produzidos por artistas de 73 países,  dos 802 apenas 44 foram premiados, isso pode dimensionar o nível da concorrência e exigência do evento.

O tema deste ano foi “Mãe”, segundo os organizadores os trabalhos submetidos à seleção estavam é um nível elevado de qualidade, por este motivo os juízes decidiram premiar os 44 melhores, diferente da edição anterior onde apenas 28 trabalhos foram premiados.

Nas edições de 2014 e 2015 o Brasil teve artistas contemplados entre vencedores do concurso.

Welington Reis aka IchirouFoi o vencedor do Silent Manga 2015 recebendo o título Grand Prix, Ichirou produziu a historia “Homesick Alien”. Em 2014 venceu com a historia “Fathers Gift”, ano passado o tema do concurso era “Finest Simle” .

Roberto F.:  Foi mais artista brasileiro vencedor no concurso, recebendo o título de The Excellence Award com a historia “Six Reasons”.

“Eudetenis”:  A dupla formada Giovana “Gigi” Leandro e  Paulo Morais também foi um dos vencedores, recebendo o título The Excellence Runner Up, pela historia “Mothercracy”.

 

SILENT MANGA AUDITION 2015 - Welington Reis aka Ichirou

 

SILENT MANGA AUDITION 2015 - Roberto F

 

SILENT MANGA AUDITION 2015 - Eudetenis

 

 

SILENT MANGA AUDITION 2015.2 SUMMER

Devido ao grande sucesso da edição 2015 a Coamix Corp of Japan, decidiu realizar uma segunda edição do concurso em 2-15, até então apenas uma edição era promovida pela editora.

As inscrições para o Silent Manga Audition 2015 SUMMER, já estão abertas e se encerrarão em 30 de setembro. O tema escolhido foi “Charming Gift” (Presente Charmoso em uma tradução livre).

Os prêmios em dinheiro variam entre JPY 10.000 (aproximadamente R$ 260,00) e JPY 500.000 (aproximadamente R$ 13.000,00).

A seguir vocês podem conferir os prêmios de acordo com o título que a comissão julgadora classifica os vencedores.

Grand Prix : JPY 500,000
Winner Runner-Up : JPY 300,000
Excellence : JPY 100,000
Excellence Runner-Up : JPY 30,000
Honourable Mention : JPY 10,000

 

Para mais informações sobre o Silent Manga Audition 2015 SUMMER acesse este LINK

Se você deseja conferir todas as 44 historias premiadas nesta edição do Silent Manga acesse este LINK

16
jul
15

Vader Down: Jason Aarow e Kieron Gillen revelam detalhes da série que contará com arte de Mike Deodato Jr.

Blog Image Gallery Teaser - Vader Down 01

 

No ultimo dia 07 de julho, o anúncio de Mike Deodato Jr. como artista do crossover intitulado Vader Down,  abalou a mídia nerd brasileira como bastante tempo não se via.

O anúncio foi feito no painel da Marvel Comics durante a San Diego Comic-Con 2015, trata-se de um crossover entre duas HQs de Star Wars publicadas pela editora: Star Wars e Darth Vader.

Segundo o próprio Deodato, ele deve ser o responsável pela revista Star Wars que tem roteiro de Jason Aaron, Salvador Larroca será o artista responsável por Darth Vader, com roteiro de Kieron Gillen. A história é descrita como “um confronto em que o lorde Sith fica preso atrás das linhas inimigas e precisa enfrentar todo o exército da Aliança Rebelde”.

A seguir vocês poderão conferir o artigo escrito por Dan Brooks no dia 11 de julho para o site StarWars.com onde os escritores Jason Aarow e Kieron Gillen,  apresentam seis razões que mostram que Vader Down, será um crossover épico!

 

 

6 RAZÕES PARA FICAR MUITO ANIMADO COM VADER DOWN DA MARVEL  COMICS

Os títulos Star Wars e Darth Vader publicados pela Marvel Comics são aclamados pela crítica, ambos têm trabalhado em conjunto para continuar a historia vista em “Uma Nova Esperança”, antes com o foco nos heróis da trilogia original e depois trazendo novas estórias, dessa vez pela perspectiva do Lorde Sith. Os dois títulos tem elementos compartilhados e finalmente encontraram-se de forma histórica: ambos trouxeram o momento em que Darth Vader descobre que alguém chamado “Skywalker” destruiu a Estrela da Morte, levantando questionamentos, dúvidas e fúria de Darth Vader outrora conhecido como Anakin Skywalker. Hoje na San Diego Comic-Com a Marvel anunciou que as duas séries iriam se encontrar de maneira ainda mais grandiosa com Vader Down, um crossover de seis partes que começa com Vader Down Volume 1 e continua nos demais volumes da série. StarWars.com conversou com os escritores Jason Aaron de Star Wars e Kieron Gillen de Darth Vader para descobrir o que os leitores podem esperar da estória e trouxe muitas razões pra deixa-los animados.

 

 

É o Vader sem amarras. E isso é o bastante.

Em Vader Down encontramos o Lord Sith abandonado – com muitos problemas à sua volta. “Se chama Vader Down (A Queda de Vader, em tradução livre) e a imagem central é a de Vader contra todo o exército e frota Rebeldes” diz Gillen.”É um Vader com toda uma força militar a sua frente e ele se encontra em situação precária. O que acontece então?” Para os fãs que amam este Dark Lord dos Sith é uma chance de ver o que ele realmente é capaz de fazer – e como ele faz – quando o objetivo é a sobrevivência. Isto faz de Vader Down um novo tipo de historia do Darth Vader: ele não é só o caçador, mas também é a caça.

“Provavelmente vocês poderão ver Vader em um tipo de situação nunca visto antes”, diz Aaron. “Onde ele está isolado e cercado e realmente em uma situação complicada. E agora como Vader vai agir? Ele provavelmente não irá correr e se esconder. Ele é Darth Vader. Então qualquer que seja a ameaça diante dele ele irá ativar seu sabre de luz e ir de encontro à ela. Mas estamos colocando um bom número de coisas contra ele. Esse incidente que é a fagulha que se refletirá em ambos os quadrinhos, o que complica as coisas ainda mais. Novamente se chama Vader Down. Vocês verão Vader agindo sem restrições como nunca foi visto antes”.

 

É um crossover no estilo da Marvel.

Crossovers são um dos recursos ma maneira como os quadrinhos contam suas historias, dando aos criadores a chance de contar uma historia maior e incorporar personagens que eles normalmente não poderiam. Isso quer dizer que Vader Down é uma aposta alta, do tipo em escala épica, e simplesmente divertida. “Ambos, Kieron e eu temos escrito para a Marvel já faz um tempo” diz Aaron. “Chegando até aqui e lançando essa nova linha de quadrinhos de Star Wars para a Marvel, já adaptei meu estilo de escrita aquilo que faço regularmente para a Marvel Comics. Eu queria me segurar nessa batida o máximo que eu conseguisse e vocês podem ver que é o que tenho feito até agora. Eu queria fazer um quadrinho realmente grande na Marvel, e acho que parte disso é o que acontece no crossover. Assim que Kieron começou a introduzir esses novos personagens em sua historia eu não podia esperar para escrever sobre eles e interagir com eles na minha. Então sim, eu acho que é uma grande tradição da Marvel fazer os personagens se encontrarem e se enfrentarem da maior maneira possível”. Nesse aspecto Vader Down é uma verdadeira oportunidade de misturar os títulos Star Wars e Darth Vader, de personagens até a própria historia de maneira bem mais direta.

“É um momento perfeito para pegar tudo que criamos até agora e juntar tudo” diz Gillen. “Então pegamos todas essas coisas divertidas como Doutor Aphra conhecendo Han Solo e grandes lutas com Wookiees. Podemos nos divertir bastante com tudo isso”.

“Acho que era natural podermos unir os elencos dessas duas revistas”, acrescenta Aaron. “É a progressão natural da historia que nós dois viemos contando, em termos de Luke e Vader caçarem um ao outro sem perceber o que eles estavam perseguindo. Essa é a próxima batida dessa historia”.

 

Tem os droids malignos de Darth Vader… finalmente encontrando outra dupla de androides bem conhecida de Star Wars. 

Em Darth Vader, Gillen criou dois drois assassinos – com visuais e personalidades opostos às de R2-D2 e C-3PO — que ajudam o Lorde Sith em sua missão secreta. “Quando você vê Triple Zero (000) e BT-1” diz Aaron, “você pensa: bem, em algum momento eles terão que encontrar C-3PO e R2-D2, certo?” “Agora eles irão. Os dois perversos companheiros mecânicos de Vader, que costumeiramente torturam e matam com satisfação, se tornaram queridinhos dos fãs; quando StarWars.com perguntou ao seu criador o motivo dos fãs amarem esses droids malignos ele riu.

“É muito engraçado”, diz Gillen. “É o aspecto do espelho negro. A ideia é, precisa ser um quadrinho de Star Wars. Você pode fazer um quadrinho do Império e poderia ser bastante frio, sempre senti isso. Star Wars capura romance, extravagância e comédia, e você tem que ter todos esses elementos. Claro que eles também precisam ser sombrios. Então se pegarmos R2-D2 e C-3PO e invertermos o que acontece? É como: Ah, então isso é o que acontece! É incrivelmente satisfatório escrever sobre eles”.

 

É uma continuação da percepção de Gillen sobre as diversas facetas de Vader.

Em Darth Vader, Gillen tirou das historias de Anakin Skywalker presentes nos prequels, bem como do Darth Vader da trilogia original, para apresentar um olhar holístico no personagem. Vader Down mantem tudo isso e adiciona mais uma camada. “Acredito que a chave para mim…” diz Gillen “… é a historia. Anakin começou aqui, Darth Vader terminou aqui, e você não pode realmente entender um sem o outro. Eu inclui estes elementos por que sem eles não acredito estar escrevendo sobre  personagem. Em termos de crossover acho que pegaremos mais o lado de ação de Vader. Não apenas a ação, é claro que teremos mais ação que qualquer coisa que fizemos até agora, mas também que decisões ele tomará e quando ele precisar fazer uma decisão difícil, o que ele escolhe fazer?

 

É uma verdadeira colaboração.

Gillen e Aarom escreveram seus próprios roteiros em suas séries, mas em Vader Down eles se uniram. As ideias foram construídas sobre outras ideias. “Kieron e eu trabalhamos no escritório de X-Men por um bom tempo”. Diz Aaron. “Isso lembra a época em que fazíamos eventos nos X-Men. É sobre construir a historia e esboçar juntos, e então nossos volumes são divididos e continuamos a escrever as nossas historias individuais.” E então quando chega a hora de escrever os volumes,a colaboração irá continuar.

“Ainda não escrevi sobre Aphra” diz Aaron, “mas na primeira vez que escrever, isso vai passar por Kieron. Acredito que tudo deve ser sem costura. Nós dois contribuímos para isso. Ambos criamos as batidas. E agora todos esses volumes diferentes tem grandes momentos legais. Alguns deles Kieron quem vai escrever, o que me deixa com inveja, e provavelmente alguns eu que escreverei deixarão ele com inveja. Ainda bem que tem muitos desses grandes momentos ao longo da historia”.

“Estamos alternando os volumes e tomaremos conta de um em um” diz Gillen. “Mas existem ideias de Jason que eu que estou escrevendo e vice versa, o que é divertido. É uma colaboração. O todo é maior que as suas partes”.

 

É uma extensão natural – e expansão – das historias em Star Wars e Darth Vader.

Como ambas as revistas se passam durante o mesmo período de tempo, faria sentido que compartilhassem o mesmo DNA. O que acontece em uma pode ecoar na outra. Vader Down, entretanto, eleva isso para o próximo nível. “Nós claramente queríamos mostrar desde o começo que nossas revistas estavam ligadas” diz Aaron, “o que foi fácil porque Kieron e eu estávamos na mesma sala desde o primeiro encontro com a LucasFilm quando falamos sobre tudo isso. O fim do primeiro arco foi um momento grandioso onde Vader escuta a palavra “Skywalker” pela primeira vez em conexão com o nome do piloto que explodiu a Estrela da Morte. Isso marcou o curso para nós dois seguirmos, desde então divergimos em nossos arcos secundários. Kieron introduziria vários outros personagens e eu mandei Luke em uma historia bem particular. Faria sentido trazer tudo se chocando de volta com o terceiro arco”. Pelo visto esse choque vai ser mais que memorável.

“Estamos fazendo a maior historia que fizemos até agora” diz Aaron. “O filme das revistas de Star Wars”.

 

 

Star Wars #1 Variant Covers by Mike Deodato

Versões da capa variante de Star Wars #1, produzida por Mike Deodato Jr.

 

 

*Em 2001 Mike Deodato Jr. desenhou a edição Star Wars Tales #7, para a Dark Horse Comics onde o protagonista era o mercenário Mandaloriano, Boba Fett.

**Agradecimentos à Jonathas Pessoa, pelo trabalho de tradução.

FONTE: StarWars.com

 

16
jul
15

Vampire Hunter “D”: Personagem criado por Hideyuki Kikuchi deve ganhar série animada

 

Blog Image Gallery Teaser - Vampire Hunter D 01

 

Durante a Anime Expo 2015 os representantes do estúdio California Unified Pictures declararam ao site Anime News Network (ANN) que está desenvolvendo uma nova série em CGI inspirada nos livros de Vampire Hunter D de Hideyuki Kikuchi. A companhia está co-produzindo a série com o estúdio japonês Digital Frontier (Resident Evil: Degeneration, Tekken: Blood Vengeance, Mighty No. 9).

O próprio Kikuchi, bem como o diretor de Vampire Hunter D: Bloodlust, Yoshiaki Kawajiri também estarão envolvidos no projeto.

O produtor da California Unified Pictures, Scott McLeacn disse que a companhia quer trazer a série para a televisão. “Sou fã de Vampire Hunter D desde a adolescência”, disse McLean. “Estou super empolgado por fazer parte da criação de um novo capítulo para a estória que tanto admiro”.

A série de livros serviu de inspiração para um OVA em 1985 e o filme Vampire Hunter D: Bloodlust em 2000, produzido pela MadHouse. O filme foi co-produzido pela agencia de licenciamento americana Urban Vision e dublada em inglês antes de ser dublada em japonês.

A Sentai Filmworks anunciou em abril que que adquiriu a licença da animação Vampire Hunter D de 1985 e irá relança-la com uma nova dublagem em inglês além da dublagem original em japonês. A Discotek Media anunciou em fevereiro que obteve a licença de Vampire Hunter D: Bloodlust e planeja relança-la em setembro sem a dublagem japonesa.

A revista canadense de terror Rue Morgue anunciou em 2010 que Kikuchi trabalhava em uma nova série do personagem.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

A lenda do Vampire Hunter

Conhecido simplesmente como Vampire Hunter (吸血鬼 ハ ン タ ー Banpaia Hanta)D é um “Dampiro” (no japonês, dampyel), um híbrido entre humano e vampiro, filho de um aristocrata vampiro (na mitologia do anime, um vampiro puro sangue) e de uma humana, que caça vampiros em um futuro distante e desolado.

No Japão o primeiro romance, Vampire Hunter “D”, foi escrito por Hideyuki Kikuchi (Darkside Blues Wicked City) e publicado em 1983, o primeiro volume foi ilustrado por Yoshitaka Amano que posteriormente contribuiu com sua arte nos volumes seguintes.

Asahi Shimbun Publications é a editora pela publicação da série desde o incio e o 29º volume de Vampire Hunter D foi lançado em maio de 2015.  Além da série de livros o personagem possui uma gama de obras paralelas que ampliam seu universo literário para mais de 40 publicações:

 

  • Another Vampire Hunter
    Another Vampire Hunter: The Noble Greylancer
    Another Vampire Hunter: Blood of a Hero
    Another Vampire Hunter: The Noble Greylancer 3
  • Vampire Hunter Gaiden
    Vampire Hunter Gaiden: Dhampir Hunting
  • Vampire Hunter Novellas
    Vampire Hunter Bekkan: Dark Nocturne
    D – Dark Nocturne
    D – An Ode to Imagined Fall
    D – Legend of the War Fiends
  • Vampire Hunter Short Stories
    D – Armageddon
    Portrait of Yzobel
    D – Village in Fog
    D – The Castle’s Resident
    D – On the Night Road
    A Message from Cecil
    The Wanderer’s Ship
  • Vampire Hunter Art and Guidebooks
    Coffin – Vampire Hunter D
    Yoshitaka Amano Art Collection Vampire Hunter “D”
    Vampire Hunter “D” Reader’s Guide
    Yoshiaki Kawajiri’s “Vampire Hunter D” Storyboard Collection

 

Atualmente Dark Horse Comics publica a série original dos romances de Kikuchi nos Estados Unidos, até o momento foram publicados 22 volumes, todos eles estão disponíveis no site da editora. Já a Digital Manga Publishing  é quem publica o Digital Manga Publishing que adapta os romances de Hideyuki Kikuchi, ilustrado por Saiko Takaki.

 

 

 

*Agradecimentos à Jonathas Pessoa, pelo trabalho de tradução.

FONTE: Anime News NetworkDigital Manga PublishingDark Horse Comics, Wikipedia

02
jul
15

BADGER: Herói mais insano das HQs retorna em nova série a partir de setembro

 

Blog Image Gallery Teaser - Badger 02

 

O site ICv2 informou que um dos carros-chefe das recentemente unidas editoras Devil’s Due/1 First Comics será o revival de Badger, série independente dos anos 80. Criada pelo roteirista Mike Baron, Badger foi originalmente lançada em 1983 e pertence a Baron e à 1First Comics.. A nova série de Badger será lançada em setembro com Baron, o desenhista Jim Fern e o colorista Paul Mounts. O desenhista, no entanto, será trocado no decorrer das 5 edições da série, com Tony Akins desenhando a #2 e Val Mayerik desenhando o resto.

Badger foi um dos vários quadrinhos independentes notáveis publicados nos anos 80, lançado por Mike Baron após o sucesso de Nexus, de sua autoria e de Steve Rude. Depois de sair da sua editora original, a Capital Comics, Badger foi publicado por outras editoras ao longo dos anos,  1 First ComicsDark Horse, Image Comics e entre os anos de 2007 e 2008, o título foi publicado pela IDW na coleção “IDW Brings Back Badger’”, que lançou quatro volumes contendo as 23 edições originais do personagem.

 

 

Badger: O Texugo

Se você tem menos de 20 anos dificilmente vai saber quem é Badger (a menos que você seja um entusiasta de heróis americanos obscuros dos nos 80 publicados no Brasil), mas se você é fã do Deadpool deveria conhecer o personagem e sem dúvidas, reservar um lugarzinho para ele em seu coração.

Badger foi publicado no Brasil pela primeira vez, pela extinta editora Cedibra em formato americano (17 x 26 cm) e 32 páginas coloridas, foram apenas quatro edições publicadas entre outubro de 1987 e janeiro de 1988. Na mesma época a editora publicou títulos como American Flagg, Sable,Grim Jack e Lobo Solitário.  Em 1991 a Editora Abril lançou a mini-série em quatro partes Badger: Alucinado, no mesmo ano foi republicada em um único volume, a historia revela alguns detalhes da perturbada infância do personagem, enquanto ele tem a chance de acertar as contas com seu padastro e meio-irmão, responsáveis por iniciar a jornada de Norbert Sykes rumo à insanidade.

 

 

 

As Sete Faces de Norbert Sykes

Baron sempre foi um apaixonado por filmes de kung fu, em especial aqueles estrelados pelo lutador-humorista Jackie Chan, e em parte esse foi o espírito que o escritor colocou no personagem. Para aqueles que não estão entendendo, podemos resumir as coisas assim: essa é a história de um super-herói louco!

Tudo começa com Norbert Sykes, um rapaz que durante a infância sofreu vários abusos na mão de seu padrasto Larry, e que durante a Guerra do Vietnã sofreu uns outros tantos nas mãos de guerrilheiros vietcongues. Só que durante as suas “férias” no Vietnã o nosso amigo Norbert aprendeu o Shorin-ryu e dúzias de outras obscuras, esotéricas, arcanas, sem mencionar obtusas artes marciais., quando retorna aos EUA ele teve a brilhante ideia de se tornar um vigilante mascarado, um super-herói!

Obviamente esta ideia lhe rendeu uma passagem sem escalas pata o hospício. Lá, ele conheceu o feiticeiro druida conhecido pelo nome de Ham, e após ambos saírem do sanatório o mago decidiu contratar o nosso herói como capanga, mas nem ele imaginava que a desordem psíquica de Norbert fosse tão grave… Afinal de contas, o rapaz sofria de um distúrbio mental que lhe conferia nada mais nada menos que sete personalidades diferentes:

 

  • Norbert Sykes: A principal personalidade, teoricamente a personalidade dominante.
  • Badger: O Texugo: Um especialista em artes marciais (4º ou 5º dan no karaté de Shorin-Ryu, além de muitas outras artes) vigilante uniformizado aplica a justiça usando os punhos contra aqueles que maltratam os inocentes, mas de acordo com suas próprias percepções distorcidas. Ele sempre defende animais ou causas ambientais.
  • Emily: Uma garotinha de 9 anos de idade, esta personalidade esta relacionada ao abuso infantil que Norbert sofreu nas mãos de seu padrasto.
  • Pierre: Personalidade homicida que fala com um sotaque francês. Apareceu pela primeira vez quando Ham tentou despertar Norbert de sua primeira transformação na personalidade Emily.
  • Leroy: Um cão, Norbert tinha um cachorro chamado Leroy que seu pai “Larry” espancou até a morte.
  • Gastineau Grover Depaul: Um tranquilo afro americano, que não tem conhecimento das outras personalidades.
  • Max Swell: Um arquiteto. Logo no início, Max foi escrito como um moderno epicurista e playboy sofisticado, posteriormente começou a ser retratado como um gay estereotipado, afetado e cheio de trejeitos, não necessariamente homossexual.

 

Norbert também pode falar com os animais, exatamente como o Dr. Doolittle, só que com melhores resultados. Alucinado, Badger aplica seu senso de justiça sanguinária indiscriminadamente contra infratores de trânsito, trombadinhas, adolescentes que escutem música alto, hare-krishnas que vendem incensos… em suma, qualquer individuo que tenho a azar de cruzar o seu caminho.

Outra particularidade é que Norbert passa a chamar todos os seus adversários pelo nome de “Larry”, o que posteriormente se revela uma referência a seu padastro.

 

Infelizmente existem poucas chances do novo título do personagem ser publicado no Brasil, o que resumem as chances da maioria de vocês conhecerem as insanas aventuras de Norbert Skyes, a garimpar os sebos e comic shops que trabalhem com HQs antigas ou encontrar as edições disponibilizadas na internet. Mas Badger sempre terá um lugar no coração daqueles que tiveram a sorte de acompanhar suas aventuras.

 

Badger #1 - 1 First Comics

 

*Agradecimentos à Roberto Gomes, pelo trabalho de tradução.

FONTE: Newsarama, ICv2, Guia dos Quadrinhos, HQM

30
jun
15

Artistas que você precisa conhecer: Earl Norem

Blog Image Gallery Teaser - Norem 01

 

Earl Norem nasceu 17 de abril de 1924 e faleceu no ultimo dia 19 de junho de 2015, ele é sem dúvida um dos maiores ilustradores da Marvel Comics em todos os tempos e dificilmente existe no mundo alguém que seja fã de Conan O Bárbaro que não conheça uma de suas ilustrações do personagem. Porém apesar da quantidade e qualidade de seu trabalho, ele permanece relativamente pouco conhecido e talvez sequer receba o reconhecimento merecido.

Norem não era apenas um artista talentoso e influente, foi herói na Segunda Guerra Mundial, tendo participado da campanha aliada na Itália, terminou sua carreira militar com  honras em reconhecimento a seus esforços no campo de batalha.

 

Blog Image Gallery Teaser - Norem 05

Earl Norem

 

Earl Norem participou de ações militares na Segunda Guerra Mundial com o 85º regimento da 10ª Mountain Division. Ele treinou nos estados do Colorado e Texas e lutou contra os alemães no norte dos montes Apeninos na Italia. Aos 20 anos, Norem era líder de esquadrão e sargento que lutou ao lado do famoso esquiador Torger Tokle na campanha italiana, o mesmo que Norem tinha visto descer da montanha Bear em Nova Iorque em 1939 quando Norem tinha 12 anos.

Com a morte de Torkle no campo de batalha em 3 de Março de 1945, Norem foi um dos homens responsáveis por recuperar seu corpo da montanha. O próprio Norem foi ferido adentrando o Vale Po, terminando assim sua carreira militar.

Ao retornar aos Estados Unidos, Norem embarcou em sua carreira como ilustrador, ilustrou capas para Martin Goodman’s Magazine Management Company, do celebre editor Martin Goodman criador da  Timely Comics que posteriormente se tornaria a Marvel Comics.

Entre os anos 50, início dos 60, trabalhou em revistas como Male, Man’s Life, Actio for Men e Man’s World, com temática exclusivamente voltada para o público masculino as chamadas “Men’s Magazines” eram muito populares e faziam muito sucesso com suas aventuras de guerra, espionagem, aventura e detetive.

A longa carreira de Earl Norem permitiu que ele ilustrasse para uma grande variedade de revistas e HQs. Seu público alvo eram rapazes, seu trabalho agradava a todos (publico e editores) sempre mostrando heróis, aventureiros e destemidos e belas mulheres fossem elas “donzelas em perigo” ou “femme fatales”, uma formula usada até os dias de hoje.

 

 

Marvel Comics

Trabalhou em vários projetos da Marvel como Savage Sword of Conan (A Espada Selvagem de Conan), He-Man and Master of Universe (He-Man e os Mestres do Universo), Marvel Preview, Tales of the Zombie, Monsters Unleashed, Essential Marvel Horror, Planet of Apes (Planeta dos Macacos), Hulk, Silver Surfer (Surfista Prateado), Spider-Man (Homem-Aranha) e Fantastic Four (Quarteto Fantástico).

Sem sombra de dúvidas o mais celebre trabalho de Earl Norem na Marvel Comics foram suas capas para o universo de Conan O Bárbaro, princialmente no Brasil onde o ilustrador é reconhecido como um dos grandes artistas responsáveis por tornar o personagem criado por Robert E. Howard um ícone das HQs mundias.  Earl Norem contribuiu com sua arte em mais de 76 publicações ligadas ao universo de Conan, em títulos como: Conan, The Savage Sword of ConanConan SagaSavage Sword of Conan UK.

 

Conan Cover Art by Norem

 

Norem também produziu ilustrações dos Transformers, publicados entre 1984 e 1986 a série Big Looker Storybook: The Transformers foi publicada pela Marvel e contou com seis edições, das quais quatro contaram com suas ilustrações: Battle for Cybertron, The Great Car Rally, Car Show Blow Up e The Story of Wheelie: The Wild Boy of Quintesson

A série de livros GI Joe Mighty Marvel Storybook também contou com ilustrações de Norem, a série foi publicada pela Marvel entre 1983 e 1990 e teve oito edições publicadas: *The Trojan Gambit, *The Spy Eye, *Operation: DisappearanceOperation: Outer Space, Operation: Sandstorm, *Operation: Ragin River, *Operation: Star Fight The Tower of Power. Destas oito o artista ilustrou *cinco edições.

 

Norem ilustrou capas para três livros de Dungeons & Dragons publicados pela Marvel em 1983Advanced Dungeons & Dragons Storybooks: The Forest of EnchantmentAdvanced Dungeons & Dragons Characters Coloring Book Advanced Dungeons & Dragons Coloring Book: The Crown of Rulership.

 

D&D Cover Art by Norem

 

Além dos seus trabalhos para a Marvel, Norem pintou ilustrações e capas para a série de livros Worlds of Power Wizards & Warriors, as revistas e cards colecionáveis de Mars Attacks e The Six Million Dollar Man da Charlton Comics. Publicações como Reader’s Digest, Field and Stream, Ski, Real West e Discover, também tiveram contribuições do artista.

Norem pintou posters para Conforte Graphics; designs de embalagens e artes para a Mego Toys, Mattel e Hasbro; murais para o Military Museum of Southern New England; e até mesmo duas capas de programas para o New York Yankees.

 

 

He-Man e os Mestres do Universo

Norem também trabalhou para Hasbro e Mattel, e foi um dos principais ilustradores de He-Man and Masters of the Universe (He-Man e os Mestres do Universo)! Assinou dezenas e dezenas de ilustrações para revistas, histórias em quadrinhos, romances e caixas de brinquedos. Ele realmente deu vida ao mundo de Eternia.

Foi um dos vários ilustradores que contribuíram com a arte do mundo de Masters of the Universe (MOTU), suas pinturas deram à franquia uma atmosfera mais épica e heroica que a vista na série animada.

Suas ilustrações em MOTU conseguiam incluir elementos do cânon da versão original barbárica e fantástica de MOTU e o cânon da animação clássica da Filmation, sem perder a semelhança com os próprios brinquedos. Por um lado existe uma similaridade com suas pinturas do Conan, porém existe um toque mais colorido e cartoonizado, que contribuiu para o sucesso dos produtos.

 

He-Man and Masters of the Universe Cover Art by Norem

 

Earl Norem, foi um artista singular que deixa um legado que continuará a influenciar artistas ao redor do mundo. Esperamos que a partir destas informações vocês possam conhecer um pouco de sua obra e que ela os inspirem como inspirou a tantos algo longo de décadas.

A seguir vocês poderão conferir um dos raros registros em vídeo de Earl Norem, um encontro com ninguém menos que Stan Lee durante a HeroesCon 2012. Sem sombra de dúvidas o encontro de duas lendas das HQs!

 

 

 

*Agradecimentos à Jonathas Pessoa, pelo trabalho de tradução.

FONTE: ComicVine, YoJoe!Geektarded2 Warps to NeptunePipoca e Nanquim Vaults of Grayskull




Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 2.347 outros seguidores

Studio Made in PB

Twitter: Studio Made in PB

Principais Posts

Páginas

agosto 2015
D S T Q Q S S
« jul    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 2.347 outros seguidores